Guns N’ Roses: cantora de apoio revela como era fazer turnê com a banda nos anos 90

Fala galerinha  hoje vamos comentar de uma matéria do site:wiplash.net

Onde fala sobre a turnê  e sobre uma das back vocais mais importantes Roberta Freeman:

NÃO sabe tocar guitarra? Mais gostaria de aprender

As backing vocals Roberta Freeman e Tracey Amos (esta última, substituída por Diane Jones em algumas datas), as saxofonistas Cece Worrall e Lisa Maxwell, a trompetista Anne King e o tecladista, percussionista e gaitista Teddy Andreadis se apresentavam junto da banda naquela época.

Veja o que ela disse

“Quando fui chamada, claro que já havia ouvido falar deles, mas não era uma fã. Quando entrei na turnê, esperava que fossem pequenos bad boys do rock and roll zoando por aí, não levando nada a sério, pois eram jovens. Porém, vi que Axl levava muito a sério a questão vocal, seus exercícios e disciplina. Ele estava malhando e comendo de forma saudável, determinado a ser o melhor que poderia ser”, afirmou.

Roberta destacou, ainda, que se impressionou com o preparo físico de Axl Rose. “Ele cantava enquanto corria no palco. Uma coisa é cantar e dançar, porque você fica mais parado, perto o bastante do microfone. Axl corria por aquelas rampas íngremes no palco, que não era pequeno. Cantava em falsete, depois vinha com uma bela voz de barítono. Fiquei muito surpresa”, disse.

Boa parte da turnê “Use Your Illusion” foi documentada por uma equipe de filmagem. Esse material nunca foi lançado, embora alguns trechos estejam presentes no vídeo ao vivo “Use Your Illusion”, com show gravado em Tóquio. Roberta Freeman relembrou como era viajar com aquelas câmeras todas e até contou que tentavam filmar as backing vocals trocando de roupa.

No Guns N’ Roses pelo Cinderella

Além do Guns N’ Roses, Roberta Freeman também trabalhou com Pink Floyd (e a banda tributo Brit Floyd), Cinderella, Lou Reed, Nile Rodgers e Joe Cocker, entre outros. O trabalho com o Guns foi o que a deixou mais conhecida, porém, provavelmente, ela não teria entrado se não fosse pela “gig” com o Cinderella, durante a turnê de “Heartbreak Station”.

Muito massa  ! Roberta era, inclusive, a responsável por treinar a outra backing vocal, escolhendo as partes de canto e as coreografias. “Eu não cantava em todas as músicas porque sabia que era demais. Escolhi uma certa quantidade. Axl mexia no repertório toda noite. Geralmente, em outras bandas, havia um repertório impresso para seguir, mas Axl não era assim. Estávamos no camarim por vezes e, do nada, ouvíamos ‘November Rain’, aí Tracey e eu corríamos para o palco e começávamos. Era empolgante, espontâneo”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.